Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 20 de julho de 2015

COMO LIDAR COM AQUELE COLEGUINHA DIFÍCIL?




Toda mãe já passou ou um dia vai passar pela difícil situação de lidar com os conflitos entre o(a) filho e o(a) amiguinho(a) carne de pescoço. Até a mulher mais passiva se transforma em leoa quando mexem com a sua cria. Sou mãe de dois, uma menina de 8 e um menino de 5. Nessa curta experiência e depois de vivenciar diversos e variados conflitos, pude notar que toda mãe tende a defender sua cria, independente do comportamento. Se o filho foi vítima ela justifica enumerando as atitudes do agressor mal educado, mas se o filho fez o papel do agressor, ela justifica dizendo que a cria teve seus motivos, pois foi provocado pelo mal educado. Ou seja, no geral, a criança mal educada sempre será a outra. Sim, já me vi nesses dois papeis. Mas vejo que no geral as crianças acabam se entendendo e se resolvendo com rapidez e facilidade, enquanto que muitos pais acabam comprando a briga dos filhos por dias, semanas e em alguns casos, pela vida toda!
 

Diante dessa difícil realidade, qual seria então a melhor maneira de agir e reagir? Entre erros e acertos, aprendi algumas lições. Compartilho algumas delas com vocês:

- Deixem as crianças se resolverem sozinhas, nunca interfira, a não ser que haja violência física. Elas sempre se entendem, acredite!;
- Nunca julgue ou tome conclusões precipitadas se não estava presente durante o início, meio e fim do conflito, mesmo que seu filho chore horrores. Você pode estar muito errado e por isso acabar passando vergonha na frente dos outros pais;
- Sim, seu filho pode ter sido o grande motivador e se isso for constatado, o melhor a ser feito é assumir e exercer a disciplina;
- Se o amiguinho em questão for uma criança difícil e problemática, tente não alimentar sentimentos ruins contra ela, afinal, é apenas uma criança;
- Se a criança tem um comportamento que não te agrada, procure analisar: será mesmo um mal comportamento ou é um comportamento inaceitável segundo os MEUS valores? Afinal, se a outra família tiver valores diferentes dos seus, aquele comportamento pode ser encarado como aceitável pra eles, e isso é muito difícil de ser discutido;
- Não tome as dores de seus filhos a ponto de prejudicar a amizade com os pais da criança, isso não é uma atitude muito madura;
- A não ser que você seja amigo muito chegado dos pais do coleguinha difícil, jamais faça críticas quanto ao comportamento dele, só se houver abertura, caso contrário, poderá colocar em risco o relacionamento. No geral, os pais encaram como afronta um crítica contra a sua cria;

- Quanto a chamar atenção, até acho justificável quando não há um responsável por perto, fora isso, é melhor não interferir. Se tiver que falar, que seja para orientar seu filho;
- Se o comportamento for recorrente e do tipo inaceitável (agressão física, verbal ou bullying) você terá que agir. Se for na escola, converse com os professores e coordenadores e tentem juntos administrar a situação. Se for na rua ou no condomínio, explique a situação aos pais da criança com bastante cuidado, e caso não tomem alguma atitude ou venham a encarar a crítica como algo negativo, afaste seu filho do amiguinho. Não vale a pena entrar nessa briga;

- E quando a criança é da família? Penso ser esse o mais difícil dos casos. Se os pais forem chegados e compreensivos, tentem uma boa conversa, mas nunca em tom de acusação. Mostrem-se dispostos a ajudar. Caso contrário, o melhor mesmo é se afastar e manter o contato apenas em casos de muita necessidade;
- Ensine seu filho a lidar com os conflitos e frustrações da vida. Procure interferir o mínimo possível, afinal, você não estará por perto sempre não é mesmo? Ele precisa aprender a voar!
- Ensine seu filho a se defender. Não digo bater ou ser agressivo, mas também não ser passivo ao extremo. Ele precisa saber que tem seu valor, seus gostos e opiniões e que deve mantê-los, mesmo sob ameaça de um amigo. Violência nunca será a melhor saída, mas digo sempre aos meus filhos que estão autorizados a se defender;
- Não alimente fofocas com outros pais, isso é colocar mais lenha na fogueira. Evite o falatório. Se tiver que desabafar, que seja com alguém que não conheça os pais da criança ou com algum amigo muito próximo e de muita confiança, mas sempre no sentido de buscar orientação e conselho;
- Se notar que o comportamento do amiguinho é muito estranho e perigoso, tente mostrar aos responsáveis numa conversa amorosa a sua preocupação, mas sempre oferecendo ajuda, talvez até indicando um profissional;
- Se for possível e houver interesse, estreite o relacionamento com os pais da criança, invista na amizade e quem sabe, depois de algum tempo, Deus lhe dê oportunidade de iniciar uma conversa franca;
- Uma hora ou outra o seu filho será o amiguinho difícil, as vezes mais de uma vez, aceite este fato!
- Não exclua a possibilidade de seu filho ser o amiguinho difícil, aquele que todos os pais comentam. Fique atento as dicas das professoras, comportamento dele com os coleguinhas e inclusive indiretas de outros pais. Negar ou fingir que não é com você apenas piorará a situação.

Bem, espero que esse post te ajude a lidar de forma mais leve com os conflitos e coleguinhas difíceis, pois é certo que eles virão! ;)

Um abraço da mamãe Leoa,

Dani

segunda-feira, 25 de maio de 2015

SE NÃO CORRIGIR VAI FAZER OUTRA VEZ!


- Se risca paredes de casa hoje e não recebe a devida correção, vai riscar muros e portas de banheiros lá fora amanhã;

- Se maltratada animais, amiguinhos e plantas hoje e não recebe a devida correção, vai maltratar animais e pessoas amanhã;

- Se joga lixo nas ruas hoje e não recebe a devida correção, vai poluir as ruas de sua cidade amanhã;

- Se gasta água e não recebe a devida correção, vai gastar água em maior quantidade amanhã;

- Se não respeita autoridades hoje e não recebe a devida correção, vai desrespeitar autoridades amanhã;

- Se não colabora na organização da casa hoje e não recebe a devida correção, vai deixar a sociedade em desordem amanhã;

- Se mente e rouba pequenos objetos hoje e não recebe a devida correção, vai se tornar um ladrão mentiroso amanhã;

- Se responde mal hoje e não recebe a devida correção, vai destratar pessoas amanhã;

- Se não aprender a ser um cidadão do bem dentro de casa hoje, vai prejudicar a sociedade amanhã.

Ouso dizer que a culpa da desordem em que nosso mundo se encontra hoje é responsabilidade de pais negligentes. Disciplina é amor. Correção na infância é investimento para humanidade. Você como pai tem exercido o papel que Deus lhe delegou, de formar seres humanos do bem?

É melhor investir forças e tempo na educação de seus filhos agora, pois a vida lá fora é cruel, nada comparada ao amor de mãe e pai. A vara da disciplina do mundo pode levar a morte!

Crie regras dentro de casa, imponha limites, cumpra com a sua palavra, exerça disciplina com firmeza, seja exemplo e invista no amor e nos relacionamentos. Seus filhos irão agradecer amanhã... E o mundo também! ;)

“Homem de grande ira tem de sofrer o dano; porque, se tu o livrares virás ainda a fazê-lo de novo” Provérbios 19.19

A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela. Provérbios 22:15

Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo. Provérbios 13:24

Daniela Marques

sexta-feira, 24 de abril de 2015

O MAL POR TRÁS DOS DESENHOS INFANTIS




Sempre fui muito criteriosa com aquilo que entra na mente dos meus filhos, pelo menos aqui dentro de casa. Sei que não terei controle em 100% do tempo e tenho total consciência de que essa porcentagem tende a diminuir, e é exatamente por saber disso que tenho trabalhado intensamente nesses primeiros anos, tempo este onde o caráter deles está sendo formado. Já está mais do que comprovado que tudo aquilo que entra em nossas mentes e ouvidos com certa frequencia acaba se tornando algo muito natural e familiar. Os especialistas chamam este processo de anestesiamento. Quer um exemplo? Exponha uma criança pequena a músicas obscenas e cenas de mulheres rebolando e expondo seus corpos que, em pouquíssimo tempo, ela estará repetindo o comportamento, e com a maior naturalidade! Outro exemplo? Deixe um garotinho exposto a desenhos e jogos violentos por um certo período que logo ele estará trazendo a violência da tela para a vida real. Não são teorias ou achismos, mas fatos comprovados.

Aqui em casa, por exemplo, procuro estar sempre de olhos e ouvidos atentos. Minha mais velha, de 8 anos, quando vai selecionar algum programa costuma me perguntar: "Mamãe, posso assistir o filme "x"? A classificação é livre!" Bem, ela já sabe que isso é um pré-requisito, mas mesmo assim fico de olho. Por várias vezes sentei para assistir com os meus filhos programas classificados como livres, mas que não deveriam ser permitidos nem para adultos! Uma guerra aberta contra a integridade do ser humano. Mentiras, trapaças, engano, maledicência, roubos... Pode até parecer engraçado e inofensivo, mas os olhos são a lâmpada do corpo. Consuma mentira e manipulação que em pouco tempo se tornará um mentiroso e manipulador sem que perceba, nos pequenos detalhes da vida. E pior, deixe seu filho exposto a esse tipo de cenas que o corpo dele refletirá o que seus pequenos olhos estão consumindo. 


A grande maioria dos desenhos expostos pelo SBT, Globo, Cartoon, Nickelodeon e Gloob, por exemplo, deveriam ser proibidos. Uma escola de autodestruição, a decadência da humanidade! Não tenho dúvida alguma que os autores desses programas usam drogas antes escreverem os episódios. Bob Esponja é um exemplo claro. Maconha? Imagina... É ácido mesmo! E o anestesiamento é tão grande que muitos pais são capazes de assistir programas como "Os Simpsons" e ainda dizer que não enxergam nada de errado... A mente cauterizou! E os desenhos da Barbie e Polly? Uma verdadeira escola de futilidade e superficialidade!


Ao expor seus filhos a esses programas está conscientemente ensinando-os desrespeitar, mentir, roubar, ridicularizar, enganar, denegrir e até a matar, atitudes essas que parecem muito engraçadas quando interpretadas por personagens de desenho animado, mas que transportadas para a vida real, retratam a degradação da humanidade, o caos em que se encontra a nossa sociedade.

E os pais? Estão ocupados demais.

Fazer o trabalho de filtro dá trabalho, leva tempo e é dificílimo andar na contramão, mas esse é o seu dever como pai e mãe. Somos chamados a essa responsabilidade! Seu filho é matéria-prima de ser humano. Que contribuição está entregando para a humanidade? A infância e adolescência acontecem apenas uma vez, a hora de investir é agora. Amanhã será tarde demais. Não terceirize a sua função, por mais que esteja ocupado, não exponha seu filho a desenhos, jogos e filmes sem antes analisar de forma criteriosa. Eles vão espernear? Muitas vezes sim, ainda mais se já estiverem acostumados, mas ainda é tempo e vale a pena. Não seja mais um a seguir o fluxo só porque todos seguem. Venha, me dê sua mão. Vamos na contramão, juntos somos mais fortes!


Dani Marques

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

VOLTA ÀS AULAS: LANCHEIRA SAUDÁVEL


Esses dias tive o privilégio de participar de um evento organizado pela equipe do Lancheira Saudável, uma turma de profissionais que está empenhada em alertar e inspirar crianças e adultos no que diz respeito a alimentação saudável. Foi um encontro educativo, com informações de fonte segura, dinâmicas, brincadeiras e degustação. Sensacional! Uma forma divertida de desvendar os vilões que estão escondidos atrás de embalagens coloridas e chamativas, inclusive aquelas tidas como saudáveis e naturais, com frases que enganam a qualquer desinformado (como eu): "Livre de gordura trans"; "É assado!", "Integral", "Natural" e etc. Mentiras deslavadas!

Uma das revelações que me deixou chocada foi a do pão integral que, ao contrário do que pensamos, não é a opção mais saudável entre os pães. Para ficar com aquela consistência molinha e saborosa, a indústria precisa caprichar nas gorduras ruins, que que aumentam o nosso colesterol. Dá pra acreditar?

E para nos ajudar a desmascarar os vilões da saúde, a equipe do Lancheira Saudável nos ofereceu uma tabelinha simples:

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

FILHOS FELIZES EM 10 PASSOS

10 – Brinque desde muito cedo

Uma criança precisa de pais que possam representar uma companhia divertida nas horas alegres. Por essa razão, os cientistas destacam o papel fundamental das brincadeiras na vida entre pais e filhos desde a tenra infância. Brincadeiras agregam criatividade e saúde psicológica aos pequenos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...