_______________________________________________________________________________ VIDA DE MÃE
Gostaria de pedir desculpas aos leitores, mas por algum tempo o blog não terá mais espaço para comentários. As mensagens eram muitas e eu não estava dando conta de respondê-las, por isso optei pela minha atual prioridade: tempo com a família! Afinal, como vou transmitir à vocês algo que não é real em minha vida? - "Você tem toda a liberdade de reproduzir estes textos, mas peço que não esqueça de citar a fonte (autor e endereço do blog)". Obrigada!

Pesquisar este blog

Carregando...

quarta-feira, 2 de julho de 2014

30 DICAS PARA CURTIR AS FÉRIAS COM SEUS FILHOS

1- Monte com seus filhos um planejamento das férias numa cartolina, com figuras e desenhos. Não precisam ser os dias exatos, o importante é conter as atividades prediletas dos pequenos. O desafio é ficar bem longe da tecnologia!

2 - piquenique dentro de casa com bonecos e animais de pelúcia;
3 - tarde de jogos de tabuleiro, aqueles que estão guardados há muito tempo no armário;
4 - dia da tinta e massinha (sujeira liberada!);
5-  passeio no Sesc mais próximo de sua casa. Eles oferecem programações gratuitas incríveis! (http://www.sescsp.org.br/);
6 - passeio de bicicleta na rua de casa ou num parque mais próximo;
7- dia no parque: subir em árvore, brincar na areia, jogar futebol e se sujar bastante!
8 - brincadeiras de antigamente (corda, bambolê, bolinha de gude, bolinha de sabão...);
9 - dia de fazer faxina no guarda-roupa e nos brinquedos. Separem tudo o que não usam mais e que esteja em bom estado;
10 - levem as doações em uma creche ou orfanato. Se possível, passem uma tarde curtindo com as crianças;
11 - cineminha em casa, com direito a pipoca e luz apagada!
12 - passeio no shopping pra tomar sorvete ;
13 - dia de cinema (às quartas-feiras as sessões costumam ser mais baratas);
14 - boliche com garrafas pet (as crianças podem ajudar a decorar as garrafas);
15 - chá de bonecas com as amiguinhas, com direito a convite preparado pelas crianças!
16 - piquenique dos heróis para os meninos, com convites artesanais também!
17 - festa a fantasia com amiguinhos (cada um tem que trazer um prato)
18 - festa do pijama com guerra de travesseiros, cabaninha e contação de histórias (de dia mesmo);
19 - procure algum teatro gratuito em sua cidade;
20 - façam uma horta em pequenos vasinhos;
21 - dia de brincar de argila. Montem formas, deixem secar e pintem juntos!
22 - arte com material reciclado, o que vale é a criatividade!
23 - visitar algum familiar que não encontram há muito tempo. Façam um bolo bem gostoso com as crianças pra tomarem um café durante a visita;
24 - façam desenhos para crianças doentes e entreguem juntos em hospitais;
25 - façam com a família um cartaz com as regras da casa. Conversem, pintem, colem figuras... O importante é que as crianças participem de todos os momentos;

26 - piquenique com amiguinhos no quintal ou numa praça próxima de casa;
27 - brincadeiras de competição: jogo do saco, bolinha na colher, estourar a bexiga...
28 - visitar o centro histórico de sua cidade. Tirem fotos, conversem sobre a história, andem de metrô, comam cachorro-quente na rua... Vai ser uma aventura!
29 - dia de visitar algum museu ou biblioteca da cidade;
30 - Revelem as fotos dos principais momentos que viveram juntos nas férias e montem um cartaz desta incrível recordação!

O maior investimento na vida de seu filho é tempo com você. A infância não acontece duas vezes, portanto, estabeleça prioridades e curta esse tempo que não volta mais!

Mamãe Dani Marques

quarta-feira, 30 de abril de 2014

CRIANÇAS QUE NASCEM RUINS. SIM, ELAS EXISTEM!

Um tabu impede que se discuta a maldade infantil. Mas ela existe. E pode esconder transtornos graves.
 

Aos 7 anos, T. convenceu seus pais, profissionais liberais de Belo Horizonte, a demitir duas empregadas domésticas. O motivo alegado: elas batiam nele. As duas negaram as agressões, mas o menino chegou a apresentar uma marca roxa no braço. Um ano depois, nova queixa sobre outra empregada. Revoltado, o casal decidiu colocar câmeras escondidas. O que viram foi uma surpresa: T. era o agressor, com pontapés e atirando brinquedos. No fim de uma semana, perguntaram se a empregada havia batido nele novamente. Choroso, T. respondeu que havia sido surrado na cozinha – onde as imagens não mostravam nada. Diante das sucessivas mentiras, foi castigado.

Três anos depois, reincidiu. Com os pais já separados, adquiriu o costume de tirar dinheiro da carteira dos dois, dizendo ao pai que era a mesada da mãe, e vice-versa. Os pais só descobriram a farsa durante uma discussão sobre dinheiro. Pouco antes, uma empregada fora mandada embora da casa da mãe depois do sumiço de R$ 50. T. disse que a vira pegar a nota. Diante disso, os pais concluíram que o menino precisava de tratamento. Poucas sessões depois, o diagnóstico foi duro: ele apresentava o chamado transtorno de conduta, nome formal para a velha “índole ruim”.

quarta-feira, 19 de março de 2014

ALERTA: CRIANÇAS VICIADAS EM TECNOLOGIA - CONSEQUÊNCIAS DESASTROSAS!

Na semana passada ouvi o relato de uma garotinha de 4 anos que estava sendo submetida a tratamento psicológico por conta do seu vício em tablet. Seria cômico se não fosse trágico. Alguns meses atrás, ouvi também uma conversa entre a Rosely Saião e Inês de Castro na Band News FM. O assunto era o mesmo: tratamento psicológico para viciados em redes sociais, jogos de celular, tablet, WhatsApp... Confesso que me assustei quando escutei da boca delas que medicamentos já estavam sendo desenvolvidos para sanar o mal que acomete esta geração. O que está por vir? O que será dos nossos filhos?

"Os próprios pais são os responsáveis por permitir que seus filhos trilhem este caminho. Para alguns, um caminho sem volta"

Decidi que vou continuar andando na contramão, custe o que custar! Tecnologia aqui em casa só em caso de extrema necessidade. Tablet, celular e internet muito de vez em quando, e sempre supervisionado. TV? Até rola, mas muito pouco. E todo o estimulo para: tinta, massinha, pega-pega, esconde-esconde, quebra-cabeça, casinha e boneca, jogo de bola, bicicleta, patinete, receitinhas com a mamãe, cabaninha e tudo que estimule movimentos, criatividade, imaginação e interação com gente de verdade, de carne e osso, olhos nos olhos!

Radicalismo? Chame do que quiser, mas não quero ver meus filhos sentados em cadeiras de psicólogos e dependente de medicamentos para se desintoxicar da tecnologia. Não mesmo! Se ainda acha exagero e não se sente muito confiante em tentar, veja isto:

quinta-feira, 13 de março de 2014

8 DICAS PARA ESTRAGAR SEU FILHO!

1 –  ”Ignore e/ou minimize os sentimentos dos seus filhos” (errado).
Se o seu filho estiver triste, ou com raiva, ou com medo, não tire sarro dele, não o humilhe, não minimize o que ele está sentindo, não diga apenas que o que ele está sentindo é errado. Quando os pais fazem isso sem dar amor, eles perdem a oportunidade de se conectar emocionalmente com seus filhos mostrando que os amam incondicionalmente.
 
2 – “Crie regras inconsistentes”. (errado)
Se você nunca falar para seus filhos o que você espera que eles façam, eles nunca saberão como devem se comportar. As crianças vivem tentando corresponder as expectativas dos pais. Regras são úteis para que as crianças tenham algo para se basear na vida quanto ao comportamento. Se você deixar seus filhos sem o mínimo de regras, ou der regras inconsistentes e variáveis, eles terão que descobrir sozinhos, ou acabarão perdendo o valor das regras e terão problemas de comportamento.
 
3 – “Faça do seu filho o seu amigo”. (errado)
Nunca compartilhe todos seus problemas, se você agir como como indefeso ou derrotado eles nunca aprenderão a te respeitar e te tratarão como iguais ou inferiores. Você pode compartilhar seus problemas, mas deve mostrar que mesmo caindo você consegue se levantar e resolver tudo, que tem coragem de encarar os problemas, e que consegue resolvê-los sem pedir ajuda para eles.
 
4 – “Humilhe o seu parceiro” (errado)
Se você humilhar e nunca mostrar afeição ou amor ao seu parceiro diante do seu filho, ele nunca saberá bem o que é amor. Se você está sempre colocando-o pra baixo e está o rejeitando, ameaçando divórcio, você está criando um ambiente de estado crônico de ansiedade. Mesmo se você já estiver divorciado, não trate o ex-parceiro de forma fria, distante, ou tensa, se fizer isso você manda ao seu filho uma mensagem confusa e ele não confiará em ambos. Isso se chama alienação parental.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

SINAIS DE QUE VOCÊ ESTÁ CRIANDO SEU FILHO PARA SER ESCRAVO DO SISTEMA


Com quatro filhos, me ocupo bastante do pensamento sobre a criação, educação e escolarização das crianças, pois percebo vários problemas ocorridos nestes três aspectos ao longo da minha formação. Tive que trabalhar bastante para conseguir me libertar de algumas crenças, medos e valores que não desejo que o filho de ninguém possua e que me motivaram a vir aqui trazer à tona abaixo, alguns sinais de que nós podemos estar transformando nossos filhos em escravos ao invés de pessoas livres.

Você matriculou seu filho em uma escola que o prepara para o mercado de trabalho ou uma que vai do maternal ao vestibular. Não importa. Se o seu filho está matriculado em uma escola que o prepara para o mercado de trabalho, você está preparando o seu filho para o passado e não para o futuro, para o mundo que vai existir daqui a 20 anos quando ele sair da escola. Você está preparando seu filho para se encaixar no mundo e não para criar um mundo para ele.

Você leva seu filho no shopping para passear
Shopping não é para passear. Shopping é para comprar ou então se distrair para comprar ainda mais. O objetivo do shopping é vender mais e por isso é tão importante para seus proprietários agregar serviços como praças de alimentação e espaço para as crianças com brinquedos eletrônicos e pequenos parques dentro dos seus estabelecimentos. Quanto mais próximas dos shoppings as crianças estiverem, melhor retorno financeiro o shopping terá no longo prazo. O impacto deste mau hábito pode levar seu filho a sempre querer consumir para se manter feliz. 

Você permite que ele tenha mais coisas que o necessário
Presentes são as distrações do presente. Com milhares de roupas, tênis e brinquedos seu filho começa a perceber que fica feliz sempre que recebe alguma coisa nova e molda a sua cultura para isso. Desta forma, quando ele ficar triste novamente e não enxergar nada de novo à sua volta, acreditará que está com esse mau humor porque não tem nada novo para se distrair. Desde cedo eduque seu filho a compreender que ele não depende de coisas para ser mais feliz. No dia que seu filho fracassar e não tiver coisa alguma, se sentirá ainda mais infeliz por não tê-las e levará ainda mais tempo para retomar seu rumo. 

Você acredita que ajuda seu filho quando executa tarefas simples pra ele
Dar comida na boca, amarrar o sapato, abotoar a camisa, dar banho, entre outras tarefas simples são coisas que os pais estão fazendo por mais tempo pelos seus filhos. Quando eles crescerem e estiverem adultos o mundo cobrará deles independência e disposição para realizar tarefas fora de suas zonas de conforto se eles quiserem se libertar. Tendo sido criado em uma redoma seu filho terá que lutar ainda mais para conquistar as coisas que deseja. 

Você ensina seu filho a valorizar as coisas pelas marcas que elas carregam
Não basta comprar um caderno, precisa ser um caderno de uma determinada marca ou com um determinado motivo daquele desenho animado ou daquele filme que ele tanto adora. Não seja tolo. Você está agindo justamente da forma que o dono da marca daquele filme quer que você aja. Que tal explicar para o seu filho que o caderno sem marca nenhuma tem a mesma utilidade que o caderno com marca e que ele pode ser até melhor em qualidade que o outro. Ensine-o a valorizar as coisas pelo real valor delas e não pela marca que a coisa carrega. O significado de sucesso não é medido pela capacidade de adquirir acessórios das marcas mais caras como se fossem badges da vida real. 

Você não ensina seu filho a receber doações
Conheço pais que não admitem que seus filhos recebam uma peça de roupa ou um tênis de uma outra criança só porque aquilo que era recebido já tinha sido usado. Não existe coisa mais digna e natural do que aprender a receber. Isso, inclusive é até mais importante que aprender a dar porque para receber você precisa ser humilde e nobre. Ensine-o a receber doações e ele se tornará livre por acreditar que o mundo dá as coisas para ele ao invés de visualizar um mundo cheio de perigos e apuros onde todos só pensam em tirar-lhe as coisas. 

Você faz da alimentação por frutas e legumes algo pontual
O natural para o ser humano é comer frutas, legumes e verduras, enquanto refrigerantes, doces e outras guloseimas não é natural. Estes últimos “alimentos” é que devem ser apresentados ao seu filho como um evento pontual. Não há problema comer doces, biscoitos e bolos uma vez ou outra se o hábito da criança for comer coisas saudáveis, mas fazer da alimentação saudável algo esporádico é transformar o próprio filho em colecionador de problemas de saúde no futuro. 

Você o deixa ver televisão
Assista televisão com o seu filho durante uma hora e notará nas entrelinhas uma série de comerciais educando-o a permanecer escravo do sistema. Enquanto mulheres feministas brigam pelos seus direitos nas ruas, um comercial de um brinquedo infantil, treina meninas para o consumo vendendo uma caixa registradora que aceita cartão de crédito de brinquedo onde sua filha pode fazer compras à vontade na lojinha da amiga. Desligue a televisão e veja o seu filho libertar a imaginação com amigos imaginários, pistas de corrida feitas com caixas de papelão ou simplesmente cantando a esmo dentro de casa. 

Você não educa seu filho com uma medicina preventiva
Medicina preventiva é alimentação somada ao conhecimento do próprio corpo. Além de receberem alimentos ruins para o corpo, os pais não incentivam seus filhos a conhecerem suas dores e seus próprios males, curando toda e qualquer perturbação com algum medicamento invasivo que inibe o sintoma, mas não acaba com o problema. O autoconhecimento começa pelo conhecimento do nosso próprio corpo. 

Você incentiva que seu filho tenha ídolos
Ter ídolos nos escraviza tanto quanto ter algozes. Tendo ídolos, seu filho começa a competir com outras crianças para medir se aquilo que idolatra é melhor ou pior que aquilo que os outros idolatram, seja uma personalidade, um atleta, um time de futebol, um músico, etc. Ele coloca todas as suas expectativas naquela pessoa, saindo de si para querer se tornar o outro o que normalmente termina em uma grande frustração quando ele verifica que o outro possuía as mesmas idiossincrasias que ele. 

Você não coloca em prática o que ensina para ele
E o principal e mais violento sinal de que você está criando o seu filho para seu escravo acontece quando você demonstra para ele que não se esforça para se libertar colocando em prática aquilo que ensina para ele.
  • Você continua indo ao shopping para passear.
  • Você continua vendo televisão.
  • Você continua torcendo para o seu time do coração com fanatismo.
  • Você cultua marcas, nomes e famosos.
  • Você se coloca como vítima da vida.
Você pode ter errado em tudo, mas não pode se dar o direito de errar em não assumir os próprios erros para acertar. Temos que ensinar esta nobreza para os nossos filhos se quisermos que eles se libertem desta pirâmide social na qual a maior parte da sociedade está inserida para viver a sua própria vida da maneira que ele acredita ser a ideal.
Entendo que alguns sinais colocados aqui afetam estruturalmente as suas crenças, mas te convido a fazer um exame em cada uma delas para verificar porque elas realmente existem em você e como elas podem estar moldando a vida que você tem hoje. Se você está preso, liberte-se e leve seus filhos junto, pois se todos os pais fizerem isso, libertaremos o mundo.

Marcos Rezende - www.insistimento.com.br
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...